O Equilibrio Sobrenatural

Estamos pedindo doações de produtos eletrônicos usados,
( Câmeras de VHS antigas, Maquinas de fotografias, Gravadores de cassete,Telescopio de refração etc não importa o modelo ) para Estudos de Possessão Demoníacas, aparições de Fantasmas e Psíquicas.
A equipe do Equilíbrio Sobrenatural trata o assunto com seriedade e profissionalismo na área.
Colabore
Ajude você também
Cidade: Wenceslau Braz-Paraná
Cep:84950-000
R: João Bueno Mendes n39
Ney Braga



Demonologia é o estudo sistemático dos demônios. Quando envolve os estudo de textos bíblicos, é considerada um ramo da Teologia. Por geralmente se referir aos demônios descritos no Cristianismo, pode ser considerada um estudo de parte da hierarquia bíblica. Também não está diretamente relacionada ao culto aos demônios.

As mais extensas exposições sobre demonologia cristã são o Malleus Maleficarum, de Heinrich Kraemer, Demonolatria, de Nicolas Rémy, e Compendium Maleficarum, de Francesco Maria Guazzo.

A demonologia se refere a catálogos que tentam nomear e definir uma hierarquia de demônios e espíritos malignos. Nesse sentido, a demonologia pode ser vista como uma imagem em espelho ou um ramo da angeologia, que estuda os anjos.

Os grimórios de ocultismo são tomos que conteriam os feitiços dessa versão da demonologia, contendo instruções de como convocar demônios e (espera-se), submetê-los à vontade do conjurador, embora nem todos os ocultistas antigos ou modernos necessariamente conjurem demônios.


quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

A cruz do capeta da Honda Titan 150

Parafuso com porca

    Mais uma história do gênero demoníaco lembra o Aserejé satânico
    os símbolos satânicos da Procter & Gamble e as vozes do inferno. Todas elas possuem o mesmo nível de credibilidade: ZERO. Pra início de conversa: para quem acredita em pactos satânicos, pactos com Lúcifer, pactos com o capeta e com o capiroto, com os diabos, com Belzebu, demônios e com outras entidades semelhantes nenhum argumento racional será capaz de demovê-los dessas idéias e dos riscos de andar sobre um veículo de duas rodas que possui peças em formato de cruz. Invertida ou não. As informações contidas na mensagem do suposto engenheiro sobre a empresa, lugares, pessoas e datas são falsas ou imprecisas. A tal universidade Goyake Kadani, por exemplo: o Google não traz nenhuma informação sobre ela a não ser referências a essa conversa fiada. Será que a universidade existe? O autor da mensagem não se identifica, não diz onde mora nem fornece nenhuma informação capaz de possibilitar a sua localização. Ele afirma: Ao ficar doente, procurei um hospital mas não diz onde fica esse hospital nem o nome dele. Sequer menciona a doença que o acometeu. Desesperado e à beira da morte por que não se identificar, dizer onde se encontra para receber o carinho, o apoio e a assistência espiritual dos que, como ele, acreditam em pactos com o capiroto, acreditam em encostos e em descarregos? Segundo o tal engenheiro, Todo o ritual foi assistido por imagens e pessoas que faziam parte daquela comunidade espírita. Até onde se sabe, comunidades espíritas não adotam rituais (supostamente) satânicos nem se comunicam com exus. Como chefe de linha de produção, depois promovido para o setor interno, o suposto engenheiro deveria saber escrever corretamente o nome da empresa onde trabalha, a razão social dela, pois não existe nenhuma empresa denominada Honda Motors S/A. Nem no Brasil nem na China. No Brasil, a empresa fabricante de motocicletas tem como razão social Moto Honda da Amazônia Ltda. Limitada e não Sociedade Anônima. E no Japão ela se chama Honda Motor Co., Ltd. O festival de asnices atinge um dos seus pontos altos quando o incrível engenheiro afirma: ...tive um sonho, em que aparecia uma santa dizendo para eu procurar um centro espírita. Uma santa recomendando um centro espírita? Que santa é essa? Ela não se identificou nem o infeliz engenheiro foi capaz de identificá-la? Já que a santa se deu ao trabalho de descer dos céus e aparecer diante do desinfeliz, por que não passar logo a mensagem para ele? Outro destaque é a ida a um um centro espírita. Onde se localiza tal centro? Em qual cidade? No Japão? No Brasil? De qualquer forma, numa sexta-feira, à meia noite (sexta-feira treze?:) o engenheiro foi ao centro espírita. Foi sem acreditar e, sem acreditar em nada, cortou os dedinhos. Pelo que ele diz, os dedos mínimos foram cortados e oferecidos aos exus. Será que ele ficou sem os dedinhos? Nada de mais, afinal de contas os dedos mínimos aparecem com valor insignificante nas tabelas de indenizações de acidentes, pois não servem para muita coisa. Enquanto um polegar pode valer até 25% do valor segurado, um dedo mínimo recebe apenas o percentual de 15%. Mas será que foi isso o que ele quis dizer? Que cortou fora os dedos mínimos? A redação é ambígua. Talvez ele tenha apenas dado um pequeno corte para fazer o sangue jorrar. Se foi assim, o sangue do engenheiro jorrou, foi coletado num recipiente onde já se encontravam amostras de sangue de outros animais. Perdão, de animais. Desconsidere a palavra "outros". Não deve ter jorrado muita coisa. O dedo mínimo não possui nenhum vaso importante cujo corte venha a provocar hemorragia intensa. Ele bebeu as amostras de sangue e pronto: o pacto foi sacramentado. Do ponto de vista religioso, esse engenheiro, especialista em mecatrônica e em projeto de motos, adota um amplo espectro de crenças. Ele se diz budista, faz pacto com o demônio, tem visões de uma santa, vai a centro espírita, conversa com exus (nada demais, pois Bush, o ex-presidente dos EUA, também diz se comunicar com entidades divinas) e acredita piamente nas recomendações de uma desconhecida evangélica. E o que recomenda a evangélica senhora? Destruir alguns milhões de cruzes de matéria plástica instaladas em motocicletas espalhadas por todo o mundo. Uma empreitada difícil, sem dúvida. Se a sobrevida do adoentado engenheiro depender dela... Em seu delírio, o autor da mensagem diz haver recebido do exu a incumbência de inserir na moto Honda Titan 150 uma peça que não tivesse serventia para nada. Fica difícil acreditar que uma empresa do porte da Honda se desse ao luxo de gastar dinheiro com a fabricação e montagem de um componente sem serventia nenhuma. Se cada uma dessas peças custar apenas R$ 0,10 seriam 10 mil reais de prejuízo para cada 100 mil motos fabricadas. Ou 100 mil reais para cada um milhão de motos fabricadas. E a tal cruz maligna existe? Na verdade existe uma peça em forma de "T" que recebe a denominação Clamp H 25.
    Segundo O Estado de São Paulo, a Honda divulgou nota "... informando que a peça, chamada de Clamp H 25 tem a função de proteger e posicionar adequadamente a fiação principal localizada na parte interna do sistema de iluminação do farol, a fim de evitar rompimento dos fios ou mau contato. A retirada dificulta a manutenção do farol e a vida útil da fiação é reduzida." Clamp H 25
    Clamp H25 da moto Honda Titan 150.
      Anderson nos envia mensagem com alguns comentários interessantes. Diz ele:
      " ... acredito que quase toda tecnologia mecânica, ou melhor, todo dispositivo mecânico deve conter um componente que pelo menos lembre uma cruz. Já pensou se tudo explodisse ou causasse um acidente.... rsss acabou a humanidade." Ele tem razão.
    Clamp H25ParafusoParafusoParafuso
      A imagem da suposta cruz, na verdade, se assemelha bastante à silhueta de um parafuso. Com porca e tudo. O desenho de um parafuso com porca corresponde à imagem da cruz invertida do anticristo?
      E se essa gente que vê cruz de anticristo, bestas e satanás em tudo que lhe aparece à frente um dia cismar de remover os parafusos e porcas satânicos, como ficariam as motos? Já pensou uma motocicleta sem porcas e sem parafusos? E o que dizer de uma peça chamada cruzeta? Cruzeta de caminhão. Se ela tiver de ser removida de todos os veículos que circulam no país, o Brasil para. Páginas da web que comentam o assunto mostram preocupação de usuários de motos com o risco de acidentes provocados pela ação da maligna cruz invertida. Muitos foram às revendas e concessionárias da Honda para a retirada do famigerado Clamp H 25, a suposta cruz do anticristo. Ao ver os malabarismos, as imprudências, as afoitezas e a irresponsabilidade de motoqueiros percebe-se que a presença de supostos símbolos satânicos nada tem a ver com os acidentes. As preocupações dos motociclistas deveriam ser de outra ordem. De nada adianta remover componentes supostamente satânicos se o comportamento do piloto da moto for irresponsável e imprudente.

Postagens populares