Demonologia

Demonologia é o estudo sistemático dos demônios. Quando envolve os estudo de textos bíblicos, é considerada um ramo da Teologia. Por geralmente se referir aos demônios descritos no Cristianismo, pode ser considerada um estudo de parte da hierarquia bíblica. Também não está diretamente relacionada ao culto aos demônios.

sábado, 10 de outubro de 2015

Lúcifer

Lucifer é a tradução da Bíblia do Rei Jaime para a palavra em hebraico הֵילֵל em Isaiah 14:12.  Esta palavra, transliterada hêlêl  ou heylel,  aparece apenas uma vez na Bíblia Hebraica  e de acordo com a influência da versão do Rei Jaime significa "o brilhante, estrela da manhã, Lucifer".  A palavra Lucifer provém da Vulgata,  que traduz הֵילֵל como lucifer, Isaías 14:12  significando "a estrela da manhã, o planeta Vênus", ou, como um adjetivo, "portador da luz".  O Septuaginta traduz הֵילֵל para grego comos ἑωσφόρος  (heōsphoros), um nome, literalmente "o que traz o anoitecer", para a estrela da manhã.
Significado origem O substantivo Lúcifer ocorre seis vezes na Vulgata, versão latina da Bíblia, e uma vez em algumas Traduções da Bíblia em língua portuguesa. Lúcifer se refere literalmente à "Estrela da Manhã" ou "Estrela D'Alva", à "luz da manhã",  aos "signos do zodíaco", e à "aurora"   ou, metaforicamente, ao "rei da Babilônia",  ao sumo sacerdote Simão, filho de Onias,  à Glória de Deus ou a Jesus Cristo  Jesus Cristo, no livro de apocalipse (22:16) se auto denomina "resplandescente estrela da manhã", o que é diferenciado quando o termo é usado separadamente "estrela da manhã" como "poder sobre nações". (Apocalipse 2:28 e 26) (Isaías 14:12)

Por exemplo, Tradução Brasileira da Bíblia:

E temos, mui firme, a palavra dos profetas, à qual bem fazeis em estar atentos, como a uma luz que alumia em lugar escuro, até que o dia amanheça, e a estrela da alva apareça em vossos corações.
 
— 2 Pedro 1:19 Tradução Almeida Fiel.
Este mesmo trecho em latim, na Vulgata é:

Et habemus firmiorem propheticum sermonem cui bene facitis adtendentes quasi lucernae lucenti in caliginoso loco donec dies inlucescat et lucifer oriatur in cordibus vestris.
 
— 2 Pedro 1:19 
É por esta razão que é possível encontrar pessoas com nome "Lúcifer" entre os primeiros cristãos, sendo o exemplo mais famoso São Lúcifer, bispo de Sardenha, onde existe a única igreja à São Lúcifer conhecida  .

O rei da Babilônia[editar | editar código-fonte]
Na tradução de Figueiredo verte Isaías 14:12: "Como caíste do céu, ó Lúcifer, tu que ao ponto do dia parecias tão brilhante?"

Lúcifer (do latim Lux fero, portador da Luz, em hebraico, heilel ben-shahar, הילל בן שחר; em grego na Septuaginta, heosphoros) significa "o que leva a luz", representando ao portador de luz, o planeta Vênus, que é visível antes do alvorecer. Provém duma raiz que significa "brilhar" (Jó 29:3), e aplicava-se a uma metáfora aplicada aos excessos de um "rei de Babilônia", não a uma entidade em si, como afirma o pesquisador iconográfico Luther Link,  "Isaías não estava falando do Diabo.Usando imagens possivelmente retiradas de um antigo mito cananeu, Isaías referia-se aos excessos de um ambicioso rei babilônico."

A expressão hebraica (heilel ben-shahar) é traduzida como "o que brilha", nas versões NM, MC, So. A tradução "Lúcifer" (portador de luz), (Fi, BMD) deriva da Vulgata latina de São Jerónimo e isso explica a ocorrência desse termo em diversas versões da Bíblia.

Mas alguns argumentam que Lúcifer seja Satanás e por isso, também foi o nome dado ao anjo caído, da ordem dos Querubins (Ez 28.14). Assim, muitos nos dias de hoje, numa nova interpretação da palavra, o chamam de Diabo (caluniador, acusador), ou Satã (cuja origem é o hebraico Shai'tan, Adversário
Judaísmo A religião judaica não possui um ser todo malévolo, que combata contra o Criador. Por outro lado, o nome hilel ben shachar (הילל בן שחר, filho d´alva), achado no livro do Profeta Isaías, a quem muitos atribuem ao Diabo, no contexto judaico relevo nenhum tem, pois se trata de uma referência ao rei da Babilônia, Nabucodonosor, que era daquela alcunha chamado. Atribui-se ao erro de interpretação, segundo a visão hebraica, a leitura da frase fora do contexto geral, pelo qual o profeta fazia uma exortação direta ao monarca
Conceito da Igreja Católica De acordo com São Jerônimo, Lúcifer era o nome do principal anjo caído, e seu nome em hebraico, helel, é derivado do verbo lamentar, pois ele lamenta a sua queda e a perda do seu brilho. Esta visão prevaleceu entre os Padres da Igreja, de forma que Lúcifer não fosse o nome próprio do diabo, mas apenas o seu estado anterior à queda. 
A visão teosófica Corroborando outras opiniões, o Glossário Teosófico de Helena Blavatsky diz que Lúcifer é a Estrela da Manhã, o planeta Vênus, e literalmente a palavra significa O Portador da Luz. Rejeita a atribuição a Lúcifer dos defeitos do orgulho e da arrogância que o cristianismo lhe imputou, nem diz que ele é a origem do mal e tampouco o identifica com o diabo e similares, que considera produtos apenas da imaginação humana sem existência autônoma real. Blavatsky faz notar, como já foi dito acima, que o próprio Cristo, no Apocalipse (cap. XXII, 16) chama a si mesmo de "Estrela da Manhã".
Outras opiniões São Jerônimo, ao traduzir a Vulgata no século 4 DC, atribuiu Lúcifer ao anjo caído, a serpente tentadora das religiões antigas, embora antes dele esta interpretação não existisse. Oficialmente a Igreja não atribui a Lúcifer o papel de Diabo, mas apenas o estado de "caído" (Petavius, De Angelis, III, iii,  

Por exemplo, a enciclopédia Estudo Perspicaz das Escrituras, vol.1, pág, 379, explica que "o termo "brilhante", ou "Lúcifer", é encontrado na "expressão proverbial contra o rei de Babilônia" que Isaías mandou profeticamente que os israelitas proferissem. De modo que faz parte duma expressão dirigida à dinastia babilônica.
Lúcifer na Mídia
Na Animação Cinderela da Disney, Lúcifer é o nome do gato da Madrasta 
No mangá Beelzebub Lúcifer é o maior rei entre os demônios
No mangá HunterXHunter Lúcifer é o sobrenome do líder do Genei Ryodan, Kuroro
Na série Supernatural da CW, Lucifer é um arcanjo caído, o Diabo, e pai de todos os demônios. também conhecido como a Estrela da Manhã.
No anime Shingeki no Bahamut: Gênesis, Lúcifer é o ser soberano do Inferno, que junto com os anjos e outros demônios, selou o Bahamut.
Na obra de Neil Gaiman, Sandman, Lúcifer é um dos três Reis do Inferno, além de ser o segundo dos caídos do paraíso.
Na obra literária de Eduardo Spohr, A Batalha do Apocalipse, Lúcifer é o mais belo e carismático dentre os sete arcanjos e o rebelde que jáz em Sheol.
No anime Hataraku maou-sama! Lúcifer é um dos quatros generais do rei demônio Satã.
Na série tokusatsu Cybercops, há um personagem com uma unidade de mesmo nome, que inclusive não é um dos vilões, sendo uma espécie de anti-herói.

Postagens populares

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...